• Listar posts
  • Feeds - RSS
Post

Microsoft compra 666 mil endereços IPv4 por US$ 7,5 milhões

Postado por Henrique Cesar Ulbrich em 27/03/2011 06:30
Blog: Rock and a hard place

Karmômetro (?)

polêmico
adicionar comentário Comment

ICANN não aprova esse tipo de “mercado negro” de endereços IP e promete fiscalizar com mais rigor no futuro."

Por Henrique Cesar Ulbrich

A Microsoft adquiriu da Nortel, em processo de falência, a fantástica quantidade de 666.624 endereços IP versão 4, cuja disponibilidade está se esgotando no mundo. O negócio foi fechado pela cifra de US$ 7,5 milhões. Pela raridade, blocos de endereços IP são um ativo valioso.

Na internet, cada computador, telefone celular ou tablet precisa de um número que o identifica. Quando você vai acessar um site, ou mandar uma mensagem de email, tais números são imprescindíveis para que visitemos o local correto na internet. Esse número é chamado de número IP ou endereço IP – mesmo que você use uma URL (por exemplo, www.geek.com.br), ela precisa ser traduzida para IP, senão o navegador não sabe para onde ir. Ocorre que o atual esquema de endereçamento na internet, a versão 4 do padrão IP (identificado pela sigla IPv4) já está esgotando a quantidade de números disponíveis. O número total de endereços IPv4 é de 4 bilhões: parece muito, mas realmente já está quase tudo ocupado.

Segundo o site Domain Incite (via The Register), a Nortel, uma empresa norte-americana de telefonia e redes, entrou em processo de falência e, na tentativa de sanear suas finanças, colocou os endereços IP de que dispunha à venda. Cada endereço custou à Microsoft cerca de US$ 11,15 – mais caro do que o registro de um domínio nos Estados Unidos.

Acredita-se que esse seja o primeiro caso de ‘comoditização’ de endereços IP desde que a IANA (Internet Assigned Numbers Authority), entidade que administra IPs de toda a internet, anunciou mês passado que os últimos blocos de endereços IPv4 disponíveis seriam distribuídos, esgotando o estoque ainda não usado. A Microsoft deu o lance mais alto no leilão promovido pelos administradores da Nortel, que teve outros treze participantes.

Segundo o site The Next Web a ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) , entidade à qual a IANA pertence, não vê com bons olhos esse “mercado negro” de endereços IP, que não deveriam ser transformados em commodities ou negociadas como produtos. A operação da Microsoft veio a público por fazer parte de um processo judicial de falência, que precisa ser transparente, mas estima-se que a partir de agora muitos blocos de endereços IP vão mudar de mãos “por baixo dos panos”.

A única solução definitiva é a migração para o IPv6, novo sistema que permite uma infinidade de novos endereços, o que os devolveria à categoria dos bens gratuitos da humanidade, como o ar e a água. Mas o IPv6 tem tido adoção lenta por provedores de acesso e outros fornecedores de serviço. O IPv4 deveria ter sido descontinuado em 2010, com toda a internet funcionando em IPv6 já em primeiro de janeiro de 2011. Mas as grandes empresas ainda estão reticentes em substituir toda a sua infra-estrutura atual, e o processo está parado. Bing, Google, Facebook e Yahoo!, por exemplo, devem iniciar a adoção do IPv6 apenas em junho de 2011.

Perdido com esse burburinho sobre IPv4 e IPv6? A gente explica pra você.
Entenda o protocolo IP, IPv4 e IPv6 – http://www.geek.com.br/posts/14707


Tags:

Se você gostou,
seja um GEEK!

participe

Comentários Comment

  1. comentário de Desconhecido

    Karmômetro (?)

    tende a ruim

    Por que 666 mil endereços?

    Por que não 665 ou 6667?

    Por que tinha que ser 666 já que se trata de unidades e não valor?

    Postado por Desconhecido em 28/03/2011 05:24

  2. comentário de Desconhecido666

    Karmômetro (?)

    tende a bom

    É 666 mil pq eles vão usar pra um laboratório do Capeta.

    Postado por Desconhecido666 em 28/03/2011 08:02

Postar um novo comentário

Não preencha este campo Ele é um mecanismo para evitarmos spams. Se vc. está vendo este texto, seu browser provavelmente não interpreta corretamente CSS. De qualquer forma, apenas deixe este campo em branco e siga livre para comentar.

Ajuda com a formatação


voltar ao início